extrato@extratodo.com.br    Rua Dom Alberto Gonçalves, 1015 - Casa 01 - Curitiba - PR

  • Facebook Basic Black

Sucessão nas organizações

Por Thiago Baise

Quero deixar este trabalho como um legado”. “Quero que as pessoas assumam  responsabilidades”.  “Quero fazer outras coisas na minha vida”. São frases de pessoas que querem criar um novo ciclo de atuação. Entender o processo da sucessão quando sente que chegou o momento de mudar, pode  ser uma ótima oportunidade para cuidar de si, dos colegas e da organização.

 

Depois do dia, sucede a noite, vivenciamos isso diariamente, tão natural que reconhecemos e nos organizamos a partir desta lei da vida. Café da manhã, almoço e jantar são exemplos disto, pois vamos fazendo conscientes do momento de cada um. Nas organizações também vamos vivendo, planejando, executando, atendendo demandas, criando, sobretudo, fazendo acontecer ao longo das  24 horas.

 

A vida diária é o palco para resolvermos problemas e deixarmos nossa marca no mundo e muitos  líderes não dão conta que passar o bastão, abrir espaço na organização para alguém assumir suas  responsabilidades, não é algo corriqueiro como dia e noite, mas algo que precisa de preparo, tanto para o sucedido, quanto para o sucessor.

Sucessão significa sequência de pessoas, coisas ou fatos que continuam sem interrupção. Nas organizações o termo é utilizado nas trocas de cargos de diretoria ou executivos, como gerentes e coordenadores.

 

 

Quero deixar este trabalho como um legado”. “Quero que as pessoas assumam  responsabilidades”.  “Quero fazer outras coisas na minha vida”. São frases de pessoas que querem criar um novo ciclo de atuação. Entender o processo da sucessão quando sente que chegou o momento de mudar, pode      ser uma ótima oportunidade para cuidar de si, dos colegas e da organização.

 

Depois do dia, sucede a noite, vivenciamos isso diariamente, tão natural que reconhecemos e nos organizamos a partir desta lei da vida. Café da manhã, almoço e jantar são exemplos disto, pois vamos fazendo conscientes do momento de cada um. Nas organizações também vamos vivendo, planejando, executando, atendendo demandas, criando, sobretudo, fazendo acontecer ao longo das  24 horas.

A vida diária é o palco para resolvermos problemas e deixarmos nossa marca no mundo e muitos  líderes não dão conta que passar o bastão, abrir espaço na organização para alguém assumir suas  responsabilidades, não é algo corriqueiro como dia e noite, mas algo que precisa de preparo, tanto para o sucedido, quanto para o sucessor.

 

Sucessão significa sequência de pessoas, coisas ou fatos que continuam sem interrupção. Nas organizações o termo é utilizado nas trocas de cargos de diretoria ou executivos, como gerentes e coordenadores. A demanda de um gestor pela sucessão acontece por diversos fatores: tempo de mandato, crescer na carreira, novos sonhos, deixar trabalho como legado, ajudar outros a evoluírem, trabalhar em equipe ou incluir novas pessoas, são necessidades internas ou externas que fazem os líderes passarem seus cargos para outra pessoa.

 

Parece que essa transição é simples como mudar a mesa de lugar. De fato, pode acontecer de qualquer forma, sai um, entra outro. O ponto central é sobre qual o impacto que esta sucessão causará no sucessor, sucedido e na organização. Se a questão é como fazer uma sucessão que signifique sequência, continuidade, respeito e crescimento das pessoas e organizações, tratar o tema com cuidado e consciência das ações é fundamental.

 

Neste processo de sucessão, duas perguntas iniciais ao futuro sucedido são fundamentais:

 

O que significa deixar este cargo?
 

O que precisa existir para deixar este cargo?

 

Entender como lidamos com o que temos hoje é importante para traçar o processo de transição e sucessão. No fundo, quando falamos de sucessão estamos falando em desenvolvimento, em contínua evolução, uma ótima oportunidade para gestores, equipes e organização como um todo reavaliarem seus desafios, responsabilidades e abrir espaço para criar o novo.

 

Neste processo seguir algumas etapas pode ajudar bastante:

- Entender o momento atual da organização e do gestor;
- Perceber os desafios que a organização tem pela frente;
- Identificar perfil necessário do sucessor;
- Mapear quem são os possíveis sucessores;
- Escolher o sucessor, apoia-lo na nova função e no desenvolvimento de novas habilidades.

 

Dar atenção a este caminhar contribui para a manutenção de um círculo virtuoso, é um processo fundamental para deixar os ambientes mais saudáveis. Saúde para quem vai, para quem fica e para quem se beneficia com o que está sendo deixado.