extrato@extratodo.com.br    Rua Dom Alberto Gonçalves, 1015 - Casa 01 - Curitiba - PR

  • Facebook Basic Black

Para confiar é preciso primeiro, querer confiar (parte 3)

12/09/2017


Confiar, vem do latim confidere, e significa, acreditar com firmeza,  ter fé, crer.

 

 

Em diversas reportagens leio sobre a importância da confiança: grau de confiança do consumidor, nível de confiança nos políticos e nas instituições, e fico com algumas perguntas: como medir a confiança? Qual o impacto da confiança dentro das organizações?

 

Nesta busca pelo entendimento sobre confiança, algumas reflexões ajudaram. Por isto, faço o convite: pense em quem você confia, acredita ou coloca fé? O que faz você confiar ou desconfiar das pessoas?

 

É possível chegarmos em inúmeras respostas, existem várias maneiras de confiar. Mas o que ficou claro para mim foi que para viver em confiança, nas pessoas, coisas ou ideias, eu preciso desenvolver em mim a força da confiança, por meio de exercícios contínuos. Estar sempre querendo dar um primeiro passo, querer confiar, confiar, receber algo em troca, avaliar... sobretudo, lidar com o que vem, que pode atender ou não nossa expectativa.

 

Querer desenvolver em mim a força da confiança, é continuar escolhendo este caminho do exercício, mesmo com motivos para não confiar.

 

Mas qual a qualidade das forças de confiança? Como continuar confiando sem ser enganado, passado para trás?

 

Na parte 1 deste texto apresentei uma polaridade da confiança, a desconfiança, e no texto 2, a outra polaridade, a confiança cega. São excessos que vem do contraponto da confiança, o poder. Geralmente, os conflitos e a falta de confiança estão relacionados ao fato de que nós queremos exercer poder sobre as outras pessoas, impossibilitando assim, a busca pelo pelo caminho da confiança, que é o caminho de fortalecer laços entre humanos. 

 

O que está por trás de querer ou não confiar, ou melhor seguir o caminho de exercitar a confiança, é a forma com a qual quero me inserir nos espaço/organizações que faço parte. A qualidade está no querer se integrar as pessoas e aos objetivos que fazem sentido para si. Estar conectado a esta qualidade permite atuar na vida cotidiana a partir da realidade, exercitando diariamente o ceder e o querer encontrar as convergências com as pessoas, encontrando formas de fazer com o outro.

 

Neste infográfico estão caminhos deste exercitar a confiança:

 

 

Você quer?

Vamos seguindo com essa acadêmia chamada vida! 

 

Please reload

Posts Em Destaque

O que você faz com o que te incomoda?

03/05/2017

1/4
Please reload

Posts Recentes
Please reload

Arquivo